SACRAMENTO  DA  CONFIRMAÇÃO

 

São poucos os jovens que têm a sorte de ter um sinal, que os leva para o que muitos foram no dia 19/09/09, uma Vigília Jovem que teve participantes de vários lugares. Foi um encontro muito bem organizado pelas FMA e SDB.

Animado, com músicas, interação, reflexão em grupos e terminando com a Celebração Eucarística celebrada por Pe. Demontier.

Experiências que serão levadas não só por um dia ou momento, mas sim, para toda a vida. Todos nós que lá estivemos, recebemos o dom de sermos um sinal, um farol que aponta para aqueles jovens que ainda não conhecem, a direção da participação religiosa.

E é com alegria, diversão e animação que nós Jovens temos, que conseguirmos ser a cada dia mais o farol de muitos que ainda estão perdidos.

Saímos de lá com a certeza de que somos importantes, que fazemos adiferença dentre tantos outros, pois o jovem da Igreja vai à festa, se diverte, pula, dança, mas sempre com Deus ao seu lado.

Podemos dizer que somos o rosto jovem do  mundo e que hoje estamos restaurados do amor de Deus e com mais fervor para continuarmos sendo sempre esse farol que nunca apaga.

Que cada ponto seja um ato de amor a Deus. (MM)

Janyele Gadelha de Lima ( jovem do grupo Paráclito – da Vila pery - Aspirantado)

Esta tarde jovem, participaram os crismandos e jovens do Grupo Paráclito de nossa Comunidade São Judas Tadeu – Vila Pery

 

Querido crismando, leia com bastante atenção,

e deixe que tudo isso cale em seu coração.  Alegre-se!!!!!!

 

 

  

I.             O Sacramento da Confirmação na iniciação Cristã

 

Juntamente com o Batismo e a Eucaristia, o sacramento da Confirmação ou Crisma constitui o conjunto dos “Sacramentos da Iniciação Cristã”, cuja unidade deve ser salvaguardada. Por isso, é preciso explicar aos Fiéis que a recepção deste Sacramento é necessária para a consumação da graça batismal.

 

O efeito do Sacramento da Confirmação é a efusão plena do Espírito Santo, como foi outorgado outrora aos Apóstolos no dia de Pentecostes, produzindo crescimento  e aprofundamento da graça batismal. Ele enraíza, mais profundamente, o cristão na filiação divina, unindo-o mais solidamente a Cristo, aumentando os dons do Espírito Santo, tornando mais perfeita a vinculação com a Igreja e fazendo do crismado verdadeira testemunha de Cristo, dando-lhe força para difundir e defender a fé por palavra e por ação.

 

II.           A Pastoral do Sacramento do Crisma

 

O sentido da pastoral do Sacramento da Crisma se situa a partir da nossa fé na Igreja. Sacramento de Jesus, sinal de salvação, Vida nova no meio do povo. Fazemos parte de uma comunidade que, também ela própria, é sinal da transformação e sinal da novidade de vida: é a Igreja, Sacramento visível da salvação. No dinamismo da evangelização, aquele que acolhe o Evangelho como Palavra que salva, normalmente o traduz depois nestas atitudes sacramentais: adesão à Igreja, aceitação dos sacramentos que manifestam e sustentam essa adesão, pela graça que eles conferem.

 

A Pastoral da Crisma deve inspirar-se na experiência do Catecumenato, como um momento de formação cristã para quem foi batizado criança. Esta catequese visa:

 

1.    Suscitar uma opção consciente, livre, a favor de Jesus Cristo e de seu projeto de vida;

2.    Oferecer uma síntese da mensagem cristã aos jovens, que querem crismar-se;

3.    Levá-los a uma integração na Comunidade eclesial e à celebração da fé com os irmãos;

4.    Integrar a vivência da fé com os valores evangélicos através de um testemunho coerente de vida.

 

Neste sentido, mais importante do que o conteúdo é a aprendizagem da vida cristã na Comunidade eclesial, que dá garantia de continuidade na vivência cristã A pedagogia própria do Catecumenato por etapas inclui: avaliações periódicas (trabalhando a motivação); celebrações marcantes (apresentação à comunidade, entrega da Bíblia, renovação do compromisso batismal, celebração penitencial); participação progressiva na vida da comunidade cristã. O acolhimento inicial é de suma importância. Recomenda-se que haja contato pessoal do Pároco com cada crismando.

 

Insistimos na prioridade de uma mística adequada tanto para os catequistas como para os próprios crismandos, já que a crisma é, por excelência, o Sacramento da Missão. Seu  destaque é verdadeiramente:  Missão. Se o Batismo visa a vida nova em Cristo, a Crisma é ligada ao Pentecostes, à vinda do Espírito Santo para animar o testemunho. É necessário, na preparação para a Crisma, enfocar esta dimensão constitutiva do Sacramento e levar os candidatos e candidatas a fazerem, progressivamente, uma experiência missionária, como membros da Igreja.

 

III.          Idade do crismando

 

 Todo batizado, ainda não confirmado, pode e deve receber o Sacramento da confirmação. Mais do que com o número de anos, o Pastor deve se preocupar com a maturidade dos fiéis na fé e com sua inserção numa comunidade cristã viva.

 

No entanto, só satisfaz pastoralmente a indicação de uma idade que torne o crismando capaz de obedecer mais perfeitamente ao Cristo Senhor e dele dar firme testemunho pessoal. No contexto social e pastoral de hoje, propõe-se como idade mínima para começar a preparação para este Sacramento, 14 anos de idade.

 

IV.         Preparação para o Crisma

 

A preparação dos crismandos nunca seja inferior a oito meses completos. Durante este tempo, sejam inseridos, sempre mais, na vida da Igreja: a Missa dominical, os sacramentos da Penitência e da Eucaristia e o engajamento na ação pastoral.

 

Recomenda-se que o tempo de preparação para a Crisma seja mais longo, com encontros semanais, dias de formação, tempos especiais dedicados à oração, retiros espirituais, contatos com a realidade onde vivem, oportunidades que permitam uma maior interiorização dos conteúdos e a abertura de coração à ação do Espírito Santo.

 

O tempo de preparação para o compromisso crismal seja tempo de despertar nos crismandos sua vocação na Igreja. Dedique-se momento especial à consideração dos apelos de Deus ao Ministério ordenado, à Vida religiosa consagrada, à Família cristã, bem como a vocação para o engajamento na Sociedade, a fim de construir o Reino de Deus.

 

A catequese crismal é de responsabilidade primeira das famílias dos Crismandos e da Comunidade eclesial paroquial. Que na programação desta preparação estejam previstas visitas às famílias dos crismandos para melhor conhecer-los e criar laços de fraternidade.

 

No momento da inscrição para a Crisma os candidatos, além dos seus dados pessoais, deverão apresentar a comprovação do seu Batismo, através da Certidão do mesmo.

 

Durante o tempo de preparação dos Crismandos para seu compromisso, reservem-se momentos especiais para encontros com seus pais e padrinhos, a fim de conscientizá-los sobre a natureza, a graça própria e os frutos do Sacramento da Crisma, reacendendo neles a vida de oração, o vínculo eclesial e o sentido de pertença à Igreja.

 

Nos encontros de preparação para a Crisma, devem ser levadas em conta as dimensões básicas da evangelização:

1. Anúncio: da Boa Nova de Jesus Cristo como resposta à busca de um amor autêntico, de verdade e de luz para a própria vida.

2. Diálogo: em toda parte, estamos em contato com gente diferente, de outras crenças, filosofias e costumes. Faz parte da preparação treinar para convivência com pessoas de outros comportamentos

3. Serviço: despertar nos jovens a atitude de envolvimento nas lutas do povo por vida digna e em tudo  que contribua a educar para a solidadriedade.

4. Testemunho de conversão pessoal na forma de vida e testemunho comunitário:desenvolvendo sentido da pertença, da participação, do espírito comunitário eclesial

 

V.          A celebração do sacramento do Crisma

 

Os crismandos devem colaborar com a espórtula do sacramento da Crisma, que, na arquidiocese de Fortaleza, se destina ao custeio das despesas com a formação de novos sacerdotes.

 

Os fotógrafos e filmadores sejam previamente advertidos com delicateza e firmeza, para que colaborem com a celebração, sem concorrer para a disperão da atenção dos crismandos e da assembléia. O bom senso deverá definir os momentos em que tais fotografias poderão ser feitas.

 

VI.         Os padrinhos

 

Enquanto possível assista ao crismando um padrinho, a quem cabe cuidar que o crismado se comporte como verdadeira testemunha de Cristo e cumpra com fidelidade as obrigações inerentes a esse sacramento.

 

Para que alguém desempenhe o encargo de padrinho, é necessário que preencha as condições exigidas pela Igreja para este encargo:

 

1º) Seja designado pelo próprio crismando, por seus pais ou por quem lhes faz as vezes, ou, na falta deles, pelo próprio pároco ou ministro, e tenha aptidão e intenção de cumprir esse encargo;

 

2º) Tenha completado dezesseis anos de idade;

 

3º) Seja católico, crismado, já tenha recebido o Sacramento da Eucaristia e leve uma vida de acordo com a fé e o encargo que vai assumir;

 

4º) Não tenha sido atingido por nenhuma pena canônica legitimamente irrogada ou declarada;

 

5º) Não seja pai ou mãe do crismando.

 

VIII.     Pós-Cisma

 

As anotações da celebração do Sacramento da confirmação devem ser enviadas à Cúria Arquidiocesana juntamente com as espórtulas respectivas, que foram oferecidas, o mais rapidamente possível. Uma outra cópia das mesmas anotações deverá ser conservadas na Secretaria da Paróquia em Livro  Próprio. As anotações devem conter: Nome do crismando(a), data de nascimento do crismando(a), data de Batismo do crismando(a), filiação do crismando(a), padrinho ou madrinha do crismando(a),data de Crisma e Celebrante da mesma.

 É necessário um programa de pós-crisma, em que seja dado um acompanhamento aos novos crismados, através de contatos periódicos ajudando-os na sua vivência cristã e propiciando-lhes ocasião de viver a sua vocação e missão no apostolado, segundo o carisma de cada um deles.

  

Liberdade é estar de bem consigo mesmo(a)!

Aproveite deste material.

 

Irmã: Josilene Rebouças  E-mail: irjosilene@hotmail.com

 


 

Crisma 2007 

 

 



Voltar